terça-feira, janeiro 24, 2006

“Valeu, muito doido! Até amanhã!”


Essa foi a pérola que alguém soltou para o sol quando ele se pôs na Ponta do Mutá, em Barra Grande, aqui mesmo na Bahia. O pôr-do-sol é um espetáculo lá. Nem preciso dizer que o cara que disse isso estava chapadasso, e nós éramos a minoria “careta” do lugar.

Como turistas sem grana, enfrentamos situações como entrar num barco onde o piloto acendia um beck atrás do outro, ao som de Tribo de Jah, e ancorar em manguezais toscos, correndo perigo de ficarmos atolados a qualquer momento. Mas de resto foi tudo muito bom, e Taipus de Fora fez mudar a minha concepção de praia, e de paraíso. Eu não gostava de praia, até que conheci Taipus.

Muita coisa pra contar, pouca vontade de escrever. Essas foram uma das poucas férias em que não fiquei com uma sensação de nostalgia. Será isso bom? Eu escrevo melhor quando estou nostálgico...

Marquinhos ouvindo Gram – Faça Alguma Coisa

P.S.: Se eu ouvir novamente Pescador de Ilusões, do Rappa, dou um tiro na cabeça da pessoa.

Um comentário:

isa disse...

Cara! muito dez!!